Um Tinder para mães encontrarem amigos para seus filhos

Você entraria no carro de um estranho? Uber, AirBnb, Tinder e agora o Moremom são considerados trust-based business, ou seja, negócios baseados na confiança mútua entre pessoas comuns e bem intencionadas.

Estava lendo aqui sobre uma nova startup na China que está testando um novo app.

É o Moremom. Ele está sendo considerado um Tinder para os pais que querem encontrar amiguinhos (play-dates) para brincar com seus filhos. 

É isso mesmo que você leu. A maioria dos usuários hoje são mães que podem publicar na plataforma oportunidades de brincadeiras que querem promover em suas casas. Pode ser uma sessão de desenho e pintura, ou de leitura de livros e até mesmo preparar e assar biscoitos.

Essas mães — conhecidas na plataforma como "hosts" — podem definir inclusive um valor, um fee, que gira em torno de U$ 15 por criança (em torno de R$ 60). Ah, é obrigatória a presença full-time das mães de todas as crianças, por questões de segurança.


Mesmo em fase de testes ainda, o app já conta com 10 mil hosts e 50 mil pais. A meta é alcançar 1 milhão de hosts e contar com 5 milhões de famílias até o fim de 2019. Uau!

Ao ler isso, a minha cabeça ferveu de reflexões e opiniões. Assim é o cérebro humano, não é mesmo? Viciado em dopamina como é vive tentando preencher lacunas de entendimento para fazer com ela ferva dentro da nossa cabeça.


O fato é que a revolução do P2P (peer-to-peer, ponto-a-ponto, pessoa-a-pessoa) que começou a ganhar tração com exemplos como Napster foi incendiada com cases de enorme sucesso como AirBnb, Uber e Tinder — que não por acaso passaram nomear novas categorias de serviços. Hoje é muito comum refletir sobre a "uberização" ou mesmo usar esses nomes para explicar novas iniciativas."É como se fosse um Uber, só que de manicures".


Mas vamos continuar pensando: quem diria há alguns anos atrás que a gente ia receber completos estranhos em nossa casa, que iriam dormir em nossa cama, tomar banho em nosso chuveiro, usar a nossa geladeira? Ou que passaríamos a entrar diariamente em carros de pessoas que nunca vimos na vida? Cada vez, uma pessoa diferente, um carro diferente. E ainda tem o Tinder.


Quando paramos pra pensar um pouco isso tudo não deixa de ser meio esquisito, não? 

No meu segundo livro "Truthtelling: por marcas mais humanas, autênticas e verdadeiras" chamo esse fenômeno de "crowdtruth", que poderia ser entendido como "verdade coletiva".


(Vou colocar algumas fotos desse trecho do livro aqui para se você quiser ler mais).


No livro uso o TripAdvisor como exemplo: negócios totalmente baseados no compartilhamento de verdade e num elevado estágio de confiança mútua entre desconhecidos que nunca se conheceram. Esses negócios simplesmente transformaram comportamentos impensáveis e criticados por todos antigamente em algo cotidiano e comum.

É por isso que TripAdvisor, Uber, AirBnb, Tinder, e agora o Moremom, são considerados trust-based business, ou seja, negócios baseados na confiança mútua entre pessoas comuns e bem intencionadas.


Claro que toda essa confiança é "assegurada" por um detalhe muito importante: o capital reputacional que as pessoas constróem na rede. Neste novo protocolo social que rege o nosso mundo e as nossas relações humanas, todos valorizam muito isso e buscam manter sempre elevados níveis desse patrimônio.


Claro que, para terminar, vou deixar aqui uma provocação final: que solução P2P você poderia estar desenvolvendo para o seu negócio? Não tenha medo de matar o seu negócio. Sempre digo que você avalia o grau de capacidade e apetite de inovação de uma empresa pelo quão rápido ela mata seus próprios produtos e serviços — antes que a concorrência venha e faça isso antes.


Ou você aí, que quer empreender: que hábito que as pessoas já praticam entre si que você poderia automatizar e embalar com uma dinâmica P2P totalmente trust-based?

Ah, e não deixe de considerar se surgirem ideias esdrúxulas que assustam. Geralmente são elas que podem começar uma revolução.


____________________________________


Raul Santahelena é autor dos livros "Truthtelling: por marcas mais humanas, autênticas e verdadeiras" (Editora Voo, Junho de 2018) e "Muito Além do Merchan: como enfrentar o desafio de envolver as novas gerações de consumidores" (Editora Campus Elsevier, 2012); Keynote Speaker; Fundador da Abre Los Ojos School; Professor de Planning na Miami Ad School - ESPM; Colaborador do Meio & Mensagem e do Adnews; Gerente de Publicidade e Mídia da Petrobras.

____________________________________


Fico muito feliz de você estar por aqui. Vamos nos manter conectados?

Linkedin: /raulsantahelena

Instagram: @raulzito

Facebook: /raulsantahelena

____________________________________