Sorte, sincronicidade ou serendipidade?



Acredite: não se trata de sorte.


É muito comum as pessoas acharem que o sucesso é fruto de uma parcela de algo em torno de 50% de sorte com algo próximo de 50% de esforço.


Sorte e suor. É o que dizem.


Mas acreditar nisso parece-me um refugo. Um abrigo de calor e compreensão para os nossos insucessos.


É como se fosse uma questão de autopreservação psico-emocional. Afinal, se dermos metade da responsabilidade ao que acontece em nossas vidas à sorte, não teremos de nos culpar se não tivermos sucesso, não é mesmo?


Muitos esportistas nos inspiram a perceber que sorte seria apenas uma parcela menor do seu sucesso. Michael Jordan dizia que passou a ter muito mais "sorte" depois que começou a treinar 12 horas por dia. O nosso Oscar certa vez declarou sobre seu apelido: "mão santa? Mão santa nada, mão treinada, isso sim. Eu treino mais de 300 arremessos por dia".


Já ouvimos muito também que sorte é o que acontece quando a preparação encontra a oportunidade.


Claro que podem existir e existem momentos de sorte. Mas prefiro entendê-los como momentos de sincronicidade onde as coisas se encaixam. O que Steve Jobs chamava de "conectar os pontos no horizonte futuro".


Até porque muitas das vezes nós mesmo provocamos a ocorrência dessa sincronia de fatores, elementos situacionais, "eventualidades". Quando, por exemplo, esbarramos em alguém com quem estamos tentando fazer networking há um bom tempo.


Considero também que uma boa dose de serendipidade pode ser considerado como um pó mágico da vida. O tal acaso nos surpreende de formas encantadoras. A forma como encontramos pessoas especiais ao longo da vida é simplesmente incrível.


Mas nem eu considero tão eventual assim.


Nós somos pólos energéticos flanando pelo universo. Isso mesmo. Não estou falando de religião ou crenças. Mas sim de ciência. Nossas células emitem sinais energéticos enquanto nós mesmos estamos imersos em um líquido tão etéreo e leve que o chamamos de ar. E todos esses fluxos de energia são influenciados por vibração. Se você vibra numa sintonia, atrairá corpos, sentimentos e pensamentos que vibram na mesma sintonia. Simples assim. Científico. Fluxos de energia.


Logo, até mesmo a serendipidade pode ser fruto das energias que você mesmo emana e atrai. Cada pensamento seu, cada palavra que você profere e cada nano-ato que você realiza ditará o seu caminho e o que você encontrará ao longo dele. E também quem.

Portanto, quando alguém credita apenas à sorte as conquistas obtidas, está desvalorizando profundamente o seu próprio trabalho. E também desmerecendo por completo a sua atitude de emanar vibracões que atraem o que está colhendo naquele momento.


____________________________________


Raul Santahelena é autor dos livros "Truthtelling: por marcas mais humanas, autênticas e verdadeiras" (Editora Voo, Junho de 2018) e "Muito Além do Merchan: como enfrentar o desafio de envolver as novas gerações de consumidores" (Editora Campus Elsevier, 2012); Keynote Speaker; Professor de Planning na Miami Ad School - ESPM; Colaborador do Meio & Mensagem e do Adnews; Gerente de Publicidade e Mídia da Petrobras.

____________________________________


Postado originalmente em meu site pessoal: www.raulsantahelena.com/blog

____________________________________


Fico muito feliz de você estar por aqui. Vamos nos manter conectados?

Linkedin: /raulsantahelena

Instagram: @raulzito

Facebook: /raulsantahelena

____________________________________


Fontes de Referência: DRAFT